18h - Chuva é cantoria na aldeia dos mortos - encerramento cen2018

Na próxima quinta-feira, 28 de novembro, às 18h, o Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2018 chega ao fim de mais uma edição, com a exibição do longa-metragem de Renée Nader Messora e João Salaviza, Chuva é cantoria na aldeia dos mortos, seguida de cerimônia de premiação da Mostra Competitiva Brasil, na Cinemateca Capitólio Petrobras, com entrada franca.

Chuva é cantoria na aldeia dos mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, 2018, 114min
Classificação Indicativa 10 anos
Elenco: Henrique Ihjãc Krahô e Raene Kotô Krahô

Não há espíritos ou serpentes nesta noite e a floresta que envolve a aldeia está tranquila. Ihjãc é um jovem indígena krahô, do norte do Brasil, e tem pesadelos desde que perdeu o pai. É hora de organizar a cerimônia funerária para o espírito poder partir para a aldeia dos mortos. O luto deve cessar. Negando seu dever e querendo escapar de um processo de se tornar um xamã, Ihjãc foge para a cidade. Longe de seu povo e de sua cultura, ele enfrenta a realidade de ser indígena no Brasil contemporâneo.

Vencedor do Prêmio do Júri da seção Um Certo Olhar no Festival de Cannes, Prêmio de Fotografia e Direção no festival do Rio 2018

Direção e Roteiro: Renée Nader Messora e João Salaviza
Produção: Entrefilmes, Karõ Filmes, Material Bruto
Produtores: Ricardo Alves Jr, Thiago Macêdo Correia, João Salaviza, Renée Nader Messora
Fotografia: Renée Nader Messora
Montagem: João Salaviza, Renée Nader Messora, Edgar Feldman
Elenco: Henrique Ihjãc Krahô e Raene Kotô Krahô
Distribuição no Brasil: Embauba

COMPARTILHE
Roger Lerina