Lia Leticia

Não recomendado para menores de 16 Anos
Violência Extrema; Conteúdo Sexual; Conteúdo Impactante

Lia Leticia

Per Capita
2021, 15min, PE
Não recomendado para menores de 16 Anos
Violência Extrema; Conteúdo Sexual; Conteúdo Impactante

Lia Leticia

Per Capita
2021, 15min, PE
Não recomendado para menores de 16 Anos
Violência Extrema; Conteúdo Sexual; Conteúdo Impactante
Per Capita
Per Capita
Como despertar uma gente entorpecida que tinha tudo, que comprara todos os sonhos que o dinheiro pode comprar e sabia que tinha sido uma pechincha?

Empresa Produtora: Rosa Melo Produções Artisticas
Direção: Lia Leticia 
Produção: Adah Lisboa 
Produção Executiva: Rosa Melo 
Imagem: Pablo Nóbrega
Direção de Arte: Ariana Nuala
Som: Nicolau Domingues
Montagem: Karen Black 
Elenco: Paula de Renor, Tom Alvim, Yuri de Holanda e Mekson Dias
Roteiro: Lia Leticia
Audiodescrição: Lorena Martins

BIOGRAFIA DE ARTISTA

BIOGRAFIA DE ARTISTA


Crédito da foto: Felix Oliveira

Lia Letícia pensa seu trabalho a partir de um campo ampliado de arte, na tensão entre práticas artísticas e a sua pretensa autonomia. A construção e conflitos advindos dessa reflexão engendram suas obras. Artista visual, natural de Viamão/RS, muda para Olinda/PE no final da década de 90 e explora a pintura em diversos suportes, inclusive o audiovisual, e investiga as relações entre este e a performance.  Além de escrever e dirigir seus próprios filmes, trabalha como diretora de arte. Seus trabalhos transitam entre festivais de cinema e exposições de arte, multiplica esta experiência através de ações como o Cinecão ou como artista educadora em projetos de experimentação audiovisual, como a Escola Engenho. Também colabora como diretora e montadora em trabalhos de artistas visuais, coordena coletivamente projetos da Galeria Maumau e faz parte do CARNI- Coletivo de Arte Negra e Indígena.

FILMOGRAFIA

Meia Dúzia de Maças - Lia Leticia, Paulo do Amparo e Fernando Peres (2002, 8min)
Shhh! - Fernando Peres e Lia Leticia (2004, 4min)
Caminhada contra a ideia de progresso - (2006, 5min)
O Cotidiano do Ovo de Codorna - (2007, 11min)
Netuno NOturno - (2008, 8min)
Orwo Foma - Lia Leticia e Karen Black (2012, 3min)
Encantada - (2013, 11min)
Golpista desde sempre - (2016, 11min)
Terra não Dita, Mar não Visto - (2017, 13min)
Thinya - (2019, 15min)
De Todos os lugares, o mundo - (2020, 5min)
Feliz Navegantes - (2021, 6min)

INSTAGRAM
Entrevista com Lia Letícia

***

 

“Como despertar uma gente entorpecida que tinha tudo, que comprara todos os sonhos que o dinheiro pode comprar e sabia que tinha sido uma pechincha?(...) Violência, que homem não gosta? J,C. Ballard. In: O Reino do Amanhã. Companhia das Letras, 2009.

Desde seu surgimento, o carro tem sido um dos maiores símbolos e a apoteose do consumo, sintetizando as contradições da era da máquina. Pelo emaranhado de ruas, avenidas e autoestradas circula hoje uma civilização nervosa, cuja marca é o indivíduo em movimento e a velocidade. Nesta videoarte as consequências desta obsessão são representadas por desejo, tédio e violência.

Autoestradas, jovens delinquentes e uma mulher de meia idade são visualmente fundidos, formando um eixo alternativo à narrativa clássica audiovisual. Aqui, as imagens são o elo narrativo no qual texturas impressas em digital e película sugerem mudanças temporais, espaciais e psicológicas dos personagens. PER CAPITA é uma reflexão visual sobre o impacto psicológico da sociedade de consumo sobre o indivíduo.

A narrativa de PER CAPITA é permeada por esses contrapontos entre câmera digital e analógica, entre edição de imagens em softwares e experimentações químicas; em termos de percepção narrativa as interações concretizadas através de intervenção direta nas imagens sugerem tempos paralelos. Dessa forma, o filme propõe leituras alternativas para a subjetividade dos personagens, afim de que sejam compreendidas através da experimentação técnica na imagem.  Com um roteiro sem diálogos, é  pela imagem  que é criado o elo narrativo, temporal e espacial entre os acontecimentos, os personagens e o espectador.

***
Pesquisa de Imagens
 
Storyboard - PER CAPITA
REFERÊNCIAS

REFERÊNCIAS

Registro de videoação Flux - Porto Alegre, 2010

O projeto iniciava com a convivência de alguns dias filmando o movimento do trânsito. Eu filmava essas imagens em cada cidade (Porto Alegre, Brasília e Garanhuns) e editava em um vídeo. Posteriormente eu projetava em alguma via de cada cidade, filmava essa projeção e novamente editava em um vídeo, que é o “produto” final desse trabalho.

***

NÃO HÁ VAGAS, de Lia Leticia com colaboração de Rochelle Zandavalli, Paula Plim, Virginia Simone, Matheus Walter e Guto Conde

Untitled

 

Série de 136 fotos (80% analógicas) de estacionamentos no perímetro central da cidade de Porto Alegre.

 

Branco sobre Branco, Kazimir Malevich 

Ambientes Instalativos, de Nam June Paik 

Chris Burden/Performance

Justificativa: Trabalhos de performance ligados a sociedade industrial, o corpo em frente as maquinas. Obras de extrema exposição frente as consequcnias da relação com maquinas, velocidade, ferro e condições limitrofes.

***

Terroristas do Milenio, J.G. Ballard 

Justificativa: A obra de J.C. Ballard, que fala de uma classe média entediada, que encontra na violência uma fonte de extravasamento e emoção.

***

Estrada Perdida (1997), de David Lynch

***
Laranja Mecânica (1971), de Stanley Kubrick 

Justificativa: consequências psicológicas da sociedade capitalista e de consumo sobre as pessoas. coreografia da violência.

***

São Paulo Sociedade Anônima (1965), de Luís Sérgio Person 

Justificativa: a coisa do “homem absurdo"


REFERÊNCIAS SONORAS 

Show de Edgar no Programa Cultura Livre

 

Videoclipe NO CHURCH IN THE WILD, de JAY-Z e KANYE WEST. Dirigido por ROMAIN GAVRAS

 

CHELPA FERRO

***

OUTROS MATERIAIS DA ARTISTA

Texto do artista plástico Eloir Jr, sobre a artista porto alegrense Lia Letícia

gasolinapostopetroleogasolinapetroleoposto - Excerto de performance realizada em 2018 para DARK SHOW 11 - Uma faísca nas trevas do século XXI

OBRA CONVIDADA

OBRA CONVIDADA

Em Trânsito
De Marcelo Pedroso (2013, 17min, PE)
CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA - Não recomendado para menores de 10 anos.

Sinopse: Elias, em trânsito
JUSTIFICATIVA

Em 2013 estava desenvolvendo Per Capita, naquele momento o roteiro ainda estava tentando se amarrar numa linguagem mais clássica de ficção. Apesar de várias intervenções visuais, recursos de performance e demais elementos ligados às artes visuais, ainda tentava no momento trazer diálogos e situações de cenas. Numa sessão da Semana dos Realizadores assisti Em Trânsito e fiquei em choque com várias similaridades, porém resolvidas de forma visual muito superior àquele roteiro que estava tentando amarrar. Deixei ele de lado, enquanto desenvolvia FLUX e Não ha Vagas... Retomei suprimindo tudo de diálogos ou qq filiação a uma narrativa mais linear... sempre falo a Marcelo que essa virada partiu daquela sessão. Marcelo foi um dos primeiros a assistir a um corte de Per Capita e desde então nos prometemos um trabalho em conjunto. Surgiu!