Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2019 divulga selecionados da Mostra Competitiva Brasil

Equipe curatorial do festival selecionou 33 obras entre filmes, videoinstalações e performance

Porto Alegre, 26 de setembro de 2019 - O Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira 2019 divulga os selecionados para a Mostra Competitiva Brasil do evento que ocorre de 21 a 27 de novembro em Porto Alegre, RS. Do total de 703 inscritos, sendo 590 curtas e médias-metragens, 94 longas e 19 videoinstalações, videoperformances e performances, 33 obras foram escolhidas para integrar a principal mostra da programação do festival. Foram mais de 220 horas de material que foram avaliadas e selecionadas pelo time de curadores formado por Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Ramiro Azevedo e Vinicius Lopes. 
Serão 28 obras exibidas em sala de cinema, uma performance e quatro videoinstalações, que estarão na programação da Cinemateca Capitólio Petrobras e no Goethe-Institut Porto Alegre, correalizador do evento. A seleção conta com nove projetos assinados por duos ou grupos, 12 realizadoras e 29 realizadores. Temáticas como feminismo, empoderamento e representatividade negra, política atual, colonialismo, questões indígenas, pertencimento, memória, imigração, identidade queer, acessibilidade, entre outras, pautam os títulos selecionados de dez Estados brasileiros e quatro produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução internacional). 
“Neste amplo panorama da recente produção autoral e independente do país, fica bastante claro que será uma edição extremamente posicionada e política”, afirmam os curadores.  A lista integra títulos como A cristalização de Brasília, de Guerreiro do Divino Amor, artista contemplado com o Prêmio Pipa 2019 e que participa pela segunda vez do festival; Swinguerra, produzido para representar o Brasil na 58ª Bienal de Veneza e Rise, vencedor de melhor curta-metragem da Berlinale em 2018, ambos de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, também poderão ser conferidos pelo público do CEN 2019. A brasiliense, radicada no Recife, e o alemão, também baseado na capital pernambucana, são conhecidos por pesquisarem as complexas relações entre manifestações culturais populares, identidade, corpo e gênero.
Enquanto estamos aqui, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti, trata sobre dois imigrantes em Nova York, em uma narrativa híbrida construída por uma abordagem poética através de um diário de viagem que nos leva à essência da micropolítica humana em tempos de globalização: um reino incerto de desejo, esperança e medos. Com Grace Passô, Marcelo Souza e Silva e Mary Ghattas no elenco, a produção estreou no Festival de Rotterdam deste ano. O curta Caçador, de Leonardo Sette, também integra a lista, trazendo seu trabalho com a temática indígena para a seleção do CEN.
Jonathas de Andrade e Felipe Bragança (em parceria com Catarina Wallenstein) que já tiveram obras exibidas em outras edições do festival, também participam desta edição do evento, com Jogos Dirigidos e Tragam-me a cabeça de Carmen M. Em Jogos Dirigidos, obra comissionada para sua primeira individual no Museu de Arte Contemporânea de Chicago, Andrade apresenta a comunidade de Várzea Queimada, interior do Piauí. O artista resolveu trabalhar com a ampla população surda da aldeia e centralizou o filme em torno de novas formas de troca e comunicação, capturando pessoas interagindo através de jogos direcionados e destacando as poderosas expressões que eles trocam. Dirigido em parceria com a protagonista Catarina Wallenstein, Tragam-me a cabeça de Carmen M estreou no início deste ano no Festival de Rotterdam e circulou por Tiradentes e o IndieLisboa, entre outros eventos. O filme conta a história de Ana, uma atriz que ensaia para estrelar uma espécie de musical em que interpretará Carmem Miranda, em um delírio que procura refletir sobre o caos sócio-político em que o Brasil se encontra, buscando referências estéticas no tropicalismo e no surrealismo para combiná-las com a influência forte do cinema de Rogério Sganzerla. 
Destaque também para Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta e Intervenção Jah do ator e performer natural de Guiné-Bissau Welket Bungué, que apresenta uma discussão sobre a violência institucionalizada no Brasil. O Duo Strangloscope participa desta edição com uma performance inédita, Aymberê, que integra uma trilogia iniciada em Carcará, apresentada em 2018 em mostra assinada pela dupla catarinense. A obra é realizada através de multiprojetores analógicos com acompanhamento de som digital ao vivo que reúne materiais de filmes alterados, pintados, riscados com a temática dos povos originários contra as injustiças sociais que nos acometem desde os tempos do "descobrimento" do Brasil até hoje. Único realizador do RS a integrar a Mostra Competitiva Brasil, Rodrigo John apresenta Mirante, filme produzido ao longo de dez anos da vista de seu apartamento do 17º andar de um prédio no Centro Histórico de Porto Alegre. O documentário é um dos filmes selecionados do Festival Biarritz Amérique Latine, que ocorre de 30 de setembro a 06 de outubro. 
A Mostra Competitiva premiará ao final do evento o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2019, com uma escultura assinada por Luiz Roque, criada especialmente para o festival, além de prêmios em serviços da Locall, KF Studios e TECNA/PUCRS. O júri desta edição deverá ser divulgado em breve.

Identidade visual 2019 traz referências anarquistas e dadaístas
Pelo terceiro ano o designer Gustavo Panicchi assina a arte do festival, que em 2019 traz referências anarquistas e dadaístas. “A arte desta edição foi inspirada no movimento Dadaísta e suas refrações nos dias atuais. A estética da colagem, do uso misturado de tipografias, de desalinhamentos, caos, desordem busca recuperar os preceitos de protesto do movimento que visava se afastar dos meios convencionais de fazer arte. Em meio a um mundo cada vez mais polarizado que busca rotular o certo e o errado, a identidade deste ano visa homenagear aqueles que a despeito de possíveis padrões, criam algo livre”, revela.

 

Rodadas de Negócios com Inscrições Abertas
Pela primeira vez o Cine Esquema Novo contará com uma Rodada de Negócios que ocorrerá entre os dias 25 e 26 de novembro, integrando as atividades do evento, com players do Brasil e da Alemanha. A atividade busca projetos audiovisuais autorais de longa-metragem de ficção, documentário, animação e experimental, além de longas-metragens finalizados ou em finalização.
Integram a comissão das rodadas Angelika Ramlow, gerente de projetos do Arsenal Distribution, Argel Medeiros, sócio/diretor da Olhar Distribuição, Letícia Friedrich, sócia da produtora e distribuidora Boulevard Filmes e Paulo de Carvalho, produtor, programador e diretor artístico do Festival CINELATINO na Alemanha.
As inscrições, através de formulário (http://bit.ly/rodadascen2019), estão abertas até às 23h59 do dia 13 de outubro, possuem o valor de R$ 50,00 (mais taxas administrativas) por projeto independente de quantos players forem assinalados no formulário de inscrição (pagamento pela plataforma  Sympla - https://www.sympla.com.br/rodadas-de-negocios---cine-esquema-novo-2019__628481.
A lista de projetos selecionados será divulgada até 08 de novembro e a agenda de reuniões será divulgada até o dia 15. Para dúvidas ou informações sobre as Rodadas de Negócio, entre em contato: rodadas@cineesquemanovo.org. 

A programação 2019 do Cine Esquema Novo conta com mostra competitiva, debates, rodadas de negócios, seminário, oficinas e mostras não-competitivas, que serão divulgadas em breve. Realizado com recursos do edital SAV/MINC/FSA nº 11, 2018, o Cine Esquema Novo 2019 é uma realização da ACENDI – Associação Cine Esquema Novo de Desenvolvimento da Imagem e conta com correalização do Goethe-Institut Porto Alegre, apoio institucional do Ministério das Relações Exteriores e RS Criativo e apoio da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Secretaria Municipal da Cultura através da Coordenação de Cinema e Audiovisual/Cinemateca Capitólio Petrobras, Prime Box Brazil e Traduzca e Apoio premiação da Locall, KF Studios e TECNA/PUCRS. Mais informações, acesse: www.cineesquemanovo.org | www.facebook.com/cineesquemanovocen | @cine_esquema_novo

MOSTRA COMPETITIVA BRASIL – CEN 2019 - SELECIONADOS
A Cristalização de Brasília - Guerreiro do Divino Amor
A Mentira - Klaus Diehl e Rafael Spínola
A palavra de Deus - Katrina Vernice
A rosa azul de Novalis - Rodrigo Carneiro e Gustavo Vinagre
Aurora – Renata Spitz    
Aymberê - Duo Strangloscope + Rodrigo Ramos
Bem no meio do céu - Isabella Raposo e Thiago Brito
Bicha-bomba - Renan de Cillo
Caçador - Leonardo Sette
Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta - Welket Bungué
De longe, ninguém vê o presidente - Rená Tardin
Enquanto Estamos Aqui - Clarissa Campolina, Luiz Pretti
Intervenção Jah - Welket Bungué    
Jogos Dirigidos - Jonathas de Andrade
Looping - Maick Hannder    
Magalhães - Lucas Lazarini
Mirante - Rodrigo John    
Negrum3 - Diego Paulino
Noh - Giovanni Manzi
O Lucas Chamou o Mar - Ani Cires
O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte I: Refúgio - Leandro Goddinho
O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte II: O Beijo - Leandro Goddinho
Pedra do Medo – Patricia Black    
Pela Luz do Teu Olhar - Flávia Aguiar
Polis - Rafael Baptista
Quando Elas Cantam - Maria Fanchin
Rise - Bárbara Wagner e Benjamin de Burca
Rua Guaicurus - João Borges
Sem Título # 5 :A Rotina terá seu Enquanto - Carlos Adriano
Sete Anos em Maio - Affonso Uchôa
Swinguerra – Barbara Wagner e Benjamin de Burca
Thinya  - Lia Letícia    
Tragam-me a cabeça de Carmen M - Felipe Bragança e Catarina Wallenstein

COMPARTILHE
CLANDESTINA